quinta-feira, dezembro 07, 2017

Bilhetes de Cinema

Se estivesse em Lisboa, os cinemas do Monumental seriam a minha escolha de eleição. Por uma simples razão: esta. Bilhetes (ainda que modernizados) à moda antiga; um acto tão simples quanto cativante para o cinéfilo mais saudoso. Esperemos que mais alguém siga o exemplo.

quarta-feira, dezembro 06, 2017

Blood Grace

terça-feira, dezembro 05, 2017

segunda-feira, dezembro 04, 2017

Do You Want to Live Forever?


"“The more you know about Stone’s own biography,” Seitz opines, “[such as] his emotional estrangement from his parents, his self-reinvention in the brothels and killing fields of Southeast Asia, his fondness for stories about both real and fictional adventurers, including Alexander the Great and Joseph Conrad’s Lord Jim—the more Conan seems like an exuberant and perverse autobiography.” Milius is a martially minded philosopher poet also." [CinephiliaBeyond]

domingo, dezembro 03, 2017

Cyberpunk Noir

sábado, dezembro 02, 2017

George Best: All by Himself (2016)

George Best: jogador de técnica ímpar e importância fundamental no United desde muito jovem, estrela rebelde dentro e fora de campo, instável no lar, auto-destrutivo nos bares. O documentário da BBC sobre o norte-irlandês que revolucionou o futebol em Inglaterra na década de sessenta com os seus dribles mágicos, golos decisivos - o mais importante de todos numa final da Taça dos Campeões Europeus contra o portentoso Benfica de Eusébio e Coluna - e campanhas publicitárias, mostra como a fama precoce e uma personalidade volátil destruíram não só a carreira, como a vida daquele que foi o primeiro "jogador celebridade pop" do planeta, muito antes de Beckham, Cristiano ou companhia. Best, que abandonou o futebol aos vinte e sete anos de idade - apenas para voltar mais tarde, nos EUA, numa altura de desespero -, serviu de lição para todas as gerações que lhe seguiram, tanto para o bem como para o mal. O problema é que... tudo isto já se sabia. E é aí que falha o documentário de Daniel Gordon: não traz nada de novo para a mesa, principalmente naquela fase da vida de Best após deixar os campos. Porque, a certa altura, Best desistiu das mulheres e do álcool; e esses foram os piores vinte minutos da sua vida.

sexta-feira, dezembro 01, 2017

Gilbert

quinta-feira, novembro 30, 2017

Entrevista ao Mundo de Cinema

O Gonçalo Sousa, do Mundo de Cinema, convidou-me para inaugurar uma série de entrevistas a bloggers que pretende efectuar no seu espaço. Aceitei o desafio e aproveitei para deixar algumas das minhas ideias em relação não só ao Cinema Notebook, mas também à blogosfera em geral. Podem ler tudo, aqui.

quarta-feira, novembro 29, 2017

Danny DeVito & Man on the Moon

terça-feira, novembro 28, 2017

American Playboy: The Hugh Hefner Story (S1/2017)

Nesta série documental de dez episódios produzida pela Amazon, Richard Lopez examina mais de dezassete mil horas de imagens de arquivo e cerca de dois mil e quinhentos cadernos de apontamentos dos arquivos pessoais de Hugh Hefner para recriar a sua vida, bem como a história da marca que criou e levou a transformações radicais na cultura norte-americana. Da inocência da década de cinquenta à revolução sexual dos anos setenta, a Playboy usou a sua habilidade única em entregar uma mensagem e criar debate público em torno dela, permitindo que o "sexo" saísse do armário através da exploração máxima dos direitos atribuídos através da primeira emenda da constituição. As amizades que sacrificou para proteger o império, os assassinatos e os suícidios de pessoas próximas, a luta com a sem excrúpulos Penthouse, o amor e o sucesso em Hollywood, as drogas para aguentar o ritmo, o uso das palavras na revista para lutar por direitos civis e combater as repressões do Governo, as tão famosas entrevistas - de Malcolm X às últimas palavras de Martin Luther King, publicadas já após a sua morte -, os clubes privados e a criação da "coelhinha", as regalias de fazer parte do grupo e a oportunidade de tornar problemas sociais - como o racismo ou a SIDA - em tópicos de discussão na sociedade, eis a vida do homem e de uma das marcas mais icónicas do planeta. Porque Hefner era muito mais do que um simples playboy.

segunda-feira, novembro 27, 2017

This is just WOW!

domingo, novembro 26, 2017

Amanda & Lily

sábado, novembro 25, 2017

Meghan Markle

sexta-feira, novembro 24, 2017

Jim & Andy (2017)

"Será isto mesmo verdade?" terá sido provavelmente uma das perguntas mais vezes feita por todos aqueles que seguiram a carreira do alternativo Andy Kaufman, tanto em palco como num ringue. Ora bem, quase tudo o que sai deste documentário fascinante em torno das filmagens do belíssimo "Man on the Moon", o último grande filme do fabuloso realizador checo Milos Forman, cai também nesse grau de estupefacção, um verdadeiro testamento de entrega de um actor que, afinal de contas, sempre funcionou com uns parafusos a menos - algo que os estúdios e os responsáveis pela sua carreira tentaram esconder o máximo tempo possível para benefício próprio. Articulando imagens de arquivo com uma entrevista no presente a Jim Carrey, o canadiano insiste que não interpretou Kaufman mas foi, sim, possuído pelo mesmo. Telepatias e golfinhos à parte, acredite-se ou não em Carrey, a verdade é que não só o resultado final como todo o processo que levou ao mesmo é tão delicioso quanto irresistível para qualquer cinéfilo que tenha, pelo menos uma vez na vida, admirado a carreira daquele que já foi o actor mais bem pago do planeta. Agora será este um génio incompreendido ou um mero idiota? Provavelmente um pouco de cada. Mas não perguntem ao Danny DeVito que ele ainda não percebeu o que é que se passou ali.

quinta-feira, novembro 23, 2017

Nem os thumbnails quero ver

Trailers dos próximos episódios de "Black Mirror" estão proibidos nesta casa. Não quero saber nada, nem o título dos mesmos. Sejam espertos, façam o mesmo!

quarta-feira, novembro 22, 2017

Pedro Rolo Duarte (1964-2017)

Conheci o Pedro Rolo Duarte aquando dos "TCN Blog Awards 2012". O seu currículo enquanto homem da cultura falava por si. Já tinha feito de tudo um pouco e, uns meses antes, fez uma referência muito simpática ao meu blogue no seu programa de então na Antena 1, "Janela Indiscreta". Com essa recomendação, juntei-me a outros incontáveis jovens a quem o Pedro deu uma oportunidade de destaque na rádio, televisão ou em papel. Queria-o, por isso, muito nos TCN. Convidei-o então a apresentar o prémio de Melhor Entrevista dessa edição - categoria mais adequada seria difícil -, convite ao qual respondeu rapidamente com uma cordialidade e uma disponibilidade rara, para mim, que estava habituado a tantas não-respostas de figuras públicas com mais que fazer que passar uma tarde com bloggers de cinema. Visito agora os e-mails que trocámos na altura e relembro a sua simpatia e educação nestas palavras guardadas para a eternidade: "Caro Carlos", em todos eles; "conte comigo"; e, pela primeira vez, e que me lembre a única e última, um interesse verdadeiro nos prémios e nos nomeados, de modo a fazer mais em palco do que simplesmente atirar o tradicional "e os nomeados são".
O dia dos TCN chegou e o Pedro comprovou, em pessoa, toda a sua categoria, classe, charme e polidez. No palco - disponível no YouTube graças aos registos do Nuno Reis, a partir do minuto trinta e um - e fora dele. Foi a primeira vez que entregou um prémio, confessou. Tamanha honra. Para mim, claro. A sua voz, inconfundível, falou um dia sobre mim e para mim. Nunca me esquecerei disso. Até sempre e obrigado Pedro. Caro Pedro.

terça-feira, novembro 21, 2017

Dezembro na Netflix

segunda-feira, novembro 20, 2017

American Vandal (S1/2017)

Não se deixem enganar pela aparentemente patética premissa desta suposta true-crime docuseries; "Quem desenhou as pilas?", uma pergunta que dá origem a uma sátira trabalhada e pensada ao pormenor sobre um género catapultado pela própria Netflix nos últimos anos. Oito episódios de meia hora, onde o feeling inicial de "isto é bom demais para ser verdade" passa rapidamente para um sentimento de deleite quase infantil do que vai ser inventado para revolucionar um crime e uma narrativa sem limites ou fronteiras do real. O equilíbrio notável entre o humor e o mistério aguenta-se firme até muito perto do fim - fim esse algo decepcionante na forma quase trivial como o vilão é desmascarado -, justificando esta experiência arriscada e original da plataforma que está a revolucionar a indústria.

domingo, novembro 19, 2017

There's a murderer among us

sábado, novembro 18, 2017

Outra irritação dos coleccionadores

A falta de noção da malta que vende dvds em segunda mão na internet roça o hilariante. Nas séries, então, chega a ficar 70/80% mais barato encomendar novo de sites como a Amazon, já com portes incluídos. Salvam-se as raridades que muitos nem percebem que têm.

sexta-feira, novembro 17, 2017

The 5th Wave (2016)

Boooooring. O fim da humanidade transformado em mais uma saga - ou tentativa de - cinéfila para adolescentes, em que tudo o que acontece é extremamente fácil de antecipar, tanto a nível de sobrevivência das personagens, desenvolvimento narrativo ou até no que toca às inevitáveis paixonetas disparatadas. Demasiado limpinho para tanto caos, totalmente insignificante perante tamanho cocktail de ideias e oportunidades extraterrestres. Uma pena, ainda para mais logo agora que já não é crime encher os pulmões e dizer à Chloë Grace Moretz que se estivesse no lugar dela, tinha sexo comigo na boa. Ao bom estilo Weinstein.

quinta-feira, novembro 16, 2017

Grace

quarta-feira, novembro 15, 2017

terça-feira, novembro 14, 2017

Slasher (S1/2016)

A temporada de estreia de "Slasher" parece ter sido feita por mim. Ou seja, por um tipo que não sabe filmar, editar, escrever um guião para televisão ou sequer fazer de árvore no teatro da escola. Tudo muito previsível - até o raio do assassino, a não ser que tivesse a usar botas com um palmo de salto, só poderia ser uma das personagens conhecidas dada a estatura -, tudo aos soluços na narrativa, tudo demasiado pateta e amador para ser levado com alguma emoção. Para a segunda temporada não me apanham; até porque já só faltam uns mesinhos para a estreia de terceira temporada de "Scream" e, mesmo sem ter feito nada por isso, essa parece-me agora uma muito melhor opção no género.