quinta-feira, outubro 22, 2020

180º South (2010)

Uns tipos sem nada para fazer na vida que não viajar, deixar crescer a barba e fazer surf decidem fazer uma viagem de meio ano da Califórnia à Patagónia. Rumo sul, lá vão eles como penduras de uma embarcação que ia sair do México. Pelo caminho passam pela Ilha da Páscoa e conhecem uma rapariga que decide ir com eles nesta aventura. Objectivo final? Subir ao topo da montanha mais alta da Patagónia simplesmente porque leram sobre uns tipos que fizeram exactamente o mesmo trajecto nos anos sessenta e ficaram por lá a viver. Ficam perto de o conseguir, mas não alcançam o cume; falta-lhes experiência para tal, um deles nunca tinha sequer escalado na neve. No que toca a estes artistas, tudo dito, pouco ou nenhum interesse, simplesmente a ideia de que qualquer narcisista pode ser hoje em dia realizador. Para memória futura ficam as imagens lindíssimas dos locais por onde passaram e a história de vida de dois homens - os tais que fizeram o mesmo há cinquenta anos - que passaram décadas a lutar contra os grandes interesses económicos na Patagónia chilena, comprando terrenos atrás de terrenos para impedir construções que destruiriam a "pureza" do local.

quarta-feira, outubro 21, 2020

This girl should never be trusted

terça-feira, outubro 20, 2020

The Capture (S1/2019)

Não acreditem em nada, nem naquilo que os vossos olhos viram de certeza absoluta. Belíssima série da BBC One que equilibra de forma fenomenal um conceito tecnológico ousado com uma conspiração governamental impensável. Ou será que o governo afinal não tem nada a ver com o assunto? O tradicional esquema de uma vítima (?) em fuga a tentar provar a sua inocência, a investigação criminal que encontra uma série de provas contraditórias e um elenco de calibre máximo - com especial destaque para Holliday Grainger, Callum Turner e, claro, o intratável Ron Perlman. Cérebro, ritmo, seis episódios que passam num piscar de olhos - ou num passar de autocarro, para ser mais preciso -, segunda temporada garantida mesmo em tempos de pandemia e, bem, vamos ao elefante na sala: o que raio aconteceu à cara da Famke Janssen?

segunda-feira, outubro 19, 2020

domingo, outubro 18, 2020

Trumped: Inside the Greatest Political Upset of All Time (2017)

Talvez um dos documentários políticos mais interessantes sobre o modo como Donald Trump chegou à casa mais famosa do planeta. Três jornalistas que acompanham os bastidores das eleições norte-americanas de 2016, desde a batalha intrapartidária para a escolha de um candidato até ao dia D da sucessão a Barack Obama. Começamos por Hillary: "Trump não ganhará". O candidato do caos, um homem que não sabe o que é a NATO, que "agarra as mulheres pela passarinha", que vai colocar o México a pagar um gigantesco muro fronteiriço, um chauvinista misógino que seria uma anedota como presidente. Ninguém o leva a sério, não terá sequer hipóteses de ser o candidato republicano à presidência. Obstáculo atrás de obstáculo, insulto atrás de insulto, votações surpreendentes atrás de votações surpreendentes - contra todas as sondagens, até aquelas que nunca tinham falhado antes -, Trump chega mesmo lá. Manipulando os media e as pessoas, eis um documentário essencial para perceber como todas as partes que o podem parar estão a cometer os mesmos erros do passado na campanha de 2020. Já não digo nada.

sábado, outubro 17, 2020

Hoffman & Servillo

sexta-feira, outubro 16, 2020

Dust Devil (1992)

Confusão de ideias, personagens ocas que nunca desenvolvem para além do básico, uma torrente de simbolismos vazios e uma estrutura narrativa inexistente que não nos deixa agarrar a absolutamente nada. Interpretações ao nível de um qualquer teatro de secundário na Namíbia, como que uma oportunidade para Richard Stanley parecer que até não é mau tecnicamente, com uma cinematografia - os tons laranjas, as paisagens desérticas - e sonoplastia muito superior a tudo o resto que é disparado para o ecrã. No meio do tédio, eis um limão (terror) que espremido não dava para encher um copo com nada mais do que as pevides. Perda de tempo, não consegue sequer ser o melhor filme de terror de 1992 a lidar com a segregação racial. "Candyman" anyone?

quinta-feira, outubro 15, 2020

Charlie’s (Serious) Angels

quarta-feira, outubro 14, 2020

Pontypool (2008)

Mais uma interessante variação d'A Guerra dos Mundos de Orson Welles, desta vez numa pequena vila canadiana. Um radialista maior que uma estação - o vocalmente hipnotizante Stephen McHattie -, um vírus estranho e enigmático que transforma a população numa espécie de zombies da linguagem - faz tanto sentido a ler como na execução prática do conceito, acreditem - e uma série de acontecimentos tão criativos quando frustrantemente indecifráveis e sujeitos às incertezas de um (aparente) acaso. Falta contexto, falta uma qualquer mitologia que sustente tão bizarros acontecimentos, falta uma estrutura consolidada que permita uma mão cheia de ideias singulares e arrojadas brilhar para além da confusão que se cria na mente do espectador. O tom e o estilo estão no ponto, mas metade das peças do puzzle acabaram viradas ao contrário.

terça-feira, outubro 13, 2020

Nalgas Flash Review: Villains

segunda-feira, outubro 12, 2020

High Score (S1/2020)

Muito antes da Internet e dos telemóveis, quando os computadores eram pré-históricos, um grupo de vsionários usou-os para reinventar o mundo. Assim começa esta série documental da Netflix sobre os jovens sonhadores que, à frente do seu tempo e ousando falhar redondamente, conseguiram criaram um mundo totalmente novo, que não olhava a géneros nem raças, que impelidos pela imaginação nunca aceitaram um não como resposta. Com entrevistas a alguns dos principais gurus do meio, - o fundador da Atari, o criador do Pac-Man, Space Invaders, Final Fantasy ou Doom, entre tantos outros - recordamos saudosos tempos que definiram os videojogos, que transformaram gerações e moldaram personalidades. Tudo num tom leve, divertido, sem guerras nem conflitos, apenas o background de tantas memórias felizes que nos marcaram.

domingo, outubro 11, 2020

sábado, outubro 10, 2020

Don't Look Now (1973)

Clássico thriller sobrenatural de Nicolas Roeg, "Aquele Inverno em Veneza" revela-se uma obra inquietante, pungente e enigmática no meio dos seus raccords ousados - os primeiros quinze minutos são um hino ao cinema -, na constante luta de Sutherland e Christie para sobreviver à pressão colocada no casamento após a morte trágica da sua filha. Muitos tirarão as suas próprias conclusões dos inúmeros simbolismos visuais e narrativos que invadem o quotidiano de ambos em Veneza - eu a certa altura deambulei pela teoria de que terá sido o outro filho do casal que matou a irmã, não sabendo o casal lidar com isso e, por isso mesmo, enviando-o para um colégio interno -, mas ninguém me tira da cabeça não só o impacto chocante daquela temível cena final como a desilusão pessoal pelo facto de Roeg ter levado uma história psicológica e humanamente tão complexa para o caminho banal e conveniente de, e atenção aos spoilers daqui em diante, uma assassina anã que se veste como a filha do casal porque sim, sem qualquer explicação plausível para tal engodo, uma mera casualidade que se envolve e embrulha na mensagem-chave do seu final: passadas todas as fases e formas de luto, não só não se consegue ultrapassar a morte de um filho, como a mesma ainda nos pode levar ao nosso próprio fim. Tirei eu, pelo menos, disto tudo. Não era preciso uma assassina em série.

sexta-feira, outubro 09, 2020

Nalgas Flash Review: Sputnik

quinta-feira, outubro 08, 2020

The Tenant (1976)

Thriller psicológico com um personagem kafkiano - interpretado pelo próprio Polanski - que se vê fantasmagoricamente possuído pela antiga inquilina do apartamento que aluga em Paris. Demónios autodestrutivos que o apoderam aos poucos - o tabaco, o chocolate quente, as roupas - numa constante alegoria à própria vida de Polanski - o estrangeiro naturalizado que ninguém respeita, a sedução proibida que parte das mulheres e não dele, quase como defesa das acusações que estavam pendentes em tribunal norte-americano das relações sexuais que admitiu ter tido com uma menor e que acabariam por provocar mais tarde o seu exílio -, num filme tecnicamente interessante - os padrões, as sombras, o prédio quase como personagem, as escadarias, a sensação de paranóia - mas narrativamente desconexo, muitas vezes sem rumo, interpretado de forma nem sempre eficaz por Polanski, que culmina num final tão ambíguo como frustrante. Dentro da chamada "trilogia do apartamento", fica claramente a milhas d'"A Semente do Diabo".

quarta-feira, outubro 07, 2020

Nunca o mundo precisou tanto de Borat!

terça-feira, outubro 06, 2020

#UNFIT: The Psychology of Donald Trump (2020)

Uma série de conceituados psicólogos norte-americanos analisam e explicam as razões pelas quais defendem que Donald Trump não reúne condições comportamentais para ser presidente dos Estados Unidos da América. O narcisimo, o autoritarismo, a facilidade com que mente e distorce a realidade, entre tantas outras características identificadas há muito por qualquer observador imparcial. Comparações mais óbvias do que deviam com Hitler, relatos de uma mão-cheia de ex-colaboradores que conviveram de muito perto com o diabo - com especial destaque para Anthony Scaramucci e o marido de Kellyanne Conway - e, acima de tudo, a explicação pelo facto de nada disto importar para uma grande fatia do eleitorado, que continuará a votar em Trump mesmo que ele "dispare em alguém na Quinta Avenida". Tudo somado, fica aquela sensação de chuva no molhado, de um exercício fútil cuja mensagem não será entregue a quem precisa dela, os indecisos. Porque quem paga quinze dólares para o alugar - a não ser que recorra ao Sr. Joaquim - já sabe muito bem o que a casa gasta. Há certos conteúdos que deviam ser de acesso gratuito obrigatório, ainda para mais numa altura decisiva da história, e não um mero pretexto para encher os bolsos de alguém.

segunda-feira, outubro 05, 2020

Nalgas Flash Review: Possession

domingo, outubro 04, 2020

Last Breath (2019)

Vendido ao público como documentário com honras de grande ecrã e uma série de referências louváveis em diversos festivais de cinema, a verdade é que "Last Breath" passava muito bem como produto televisivo de um qualquer canal de cabo na grelha televisiva entre o Odisseia e o National Geographic. Não há qualquer demérito nesta afirmação, apenas um ajustar de expectativas a uma dimensão simplificada que exalta de forma suficientemente estilizada um acontecimento de sobrevivência improvável. Improvável mas que todos percebemos que aconteceu; caso contrário não haveria assunto que justificasse hora e meia sobre um mergulhador perdido no fundo do Mar do Norte. E é essa falsa dúvida com que se joga durante quase uma hora que não cola nem é honesta para o espectador, qual relato factual que não percebe que está a brincar ao jogo errado, o de um thriller onde a morte é apenas mais uma peça do puzzle. Consegue fazer com que nos falte o ar, verdade, mas "brincadeirinha tem hora" amigos Alex e Richard.

sábado, outubro 03, 2020

10x10 (2018)

Thriller psicológico de premissa enigmática, dois actores (Luke Evans e Kelly Reilly) experientes que não vacilam na forma como dão corpo e substância propositadamente ambígua às suas personagens e... ficamos por aqui. A jovem estreante na realização Suzi Ewing não teve mãozinhas para não encher a história com um sem número de momentos patetas que matam toda a tensão ao longo do filme, culminando essa inexperiência com um final tão frustrante como desnecessário. Boas ideias, execução trapalhona, uma casa que podia ser ela mesmo uma personagem mas que acaba por tornar-se num mero espaço decorativo. Ai Kelly, que saudades do "Eden Lake".

sexta-feira, outubro 02, 2020

Challenger: The Final Flight (S1/2020)

Mini-série documental da Netflix dividida em quatro episódios de aproximadamente cinquenta minutos que funciona não só como retrato quase criminal - e incriminatório - em torno dos acontecimentos que levaram à catástrofe que chocou o mundo em 1986, mas principalmente como bonita homenagem aos elementos da tripulação que perderam a vida alguns segundos após terem descolado do Cabo Canaveral. A política que influenciou a investigação, o jogo de interesses entre a NASA e o Senado norte-americano, os fundos envolvidos que estavam em risco, as pressões para não atrasar timings de lançamentos, enfim, um sem número de detalhes que culminaram numa tragédia anunciada por vários mas inesperada para a maioria. Relatos incisivos da maioria dos envolvidos - até daqueles que acabaram por ser os mais responsáveis pela tragédia -, num produto televisivo sólido e competente que nos deixa a suplicar por uma sequela em torno do acidente do Columbia, quase duas décadas depois.

quinta-feira, outubro 01, 2020

Nalgas Flash Review: Class Action Park