quarta-feira, maio 11, 2005

The Others (2001)

Jersey, 1945. A 2ª Guerra Mundial terminou recentemente e Grace (Kidman) vive com os filhos, numa grande mansão vitoriana. O marido partiu para a guerra e não deu quaisquer sinais de vida desde o final do conflito. As crianças, Anne (Mann) e Nicholas (Bentley) sofrem de uma rara doença que os impede de estarem sob luz directa do sol, pelo que a casa permanece envolta em trevas, dia e noite. Uma vez que os antigos criados desapareceram sem deixar rasto, Grace decide contratar outros. Após uma série de ocorrências estranhas, ela começa a acreditar que a velha casa poderá estar assombrada. «Los Otros», a terceira longa metragem de Alejandro Amenábar e a sua primeira com fundos americanos vem uma vez mais demonstrar que é de fora de Hollywood que surgem as propostas mais válidas no campo do cinema de horror moderno. É certo que a Miramax investiu dinheiro na produção, ao lado da Sogecine e das Producciones del Escorpión, mas a equipa técnica é tão espanhola como a Jersey do filme. Os estúdios americanos tentam capturar o talento e as ideias e, se funcionarem, não pretendem estimular a originalidade de novos projectos, antes se preocupam em fazer remakes e em espremer estilos e temáticas quantas vezes for preciso, até que não dêem mais sumo.

Amenábar assina (argumento, realização e música) um filme “à antiga”, sem efeitos visuais vaidosos, sem sexo ou violência gráfica, criando inquietude e medo com base naquilo que não vemos, no que pode estar escondido nas trevas ou por detrás de uma porta, de onde se ouvem estranhos ruídos. O filme sustém-se largamente no trabalho dos actores, em particular no de Nicole Kidman, sem prejuízo das boas prestações das duas crianças e dos secundários. O argumento não nos faz exclamar “que original!”, existindo semelhanças inegáveis com outros títulos, alguns mais ou menos recentes, mas o que valida esta obra, como se disse, não é o remover das cortinas. O próprio realizador assume a sua intenção de pegar numa história simples (tal como o tratamento visual e formal, que nos remete para cinema de outra época), em contraste com a complexidade das personagens que são o seu motor. Mas fiquei com a sensação de que este filme nada inovou em termos de twists finais. E a referência clara não vos digo para não vos estragar o filme. E como tal, isso baixa um pouco a nota final.

5 comentários:

Anónimo disse...

Cool guestbook, interesting information... Keep it UP
» » »

Anónimo disse...

Wonderful and informative web site.I used information from that site its great.
» » »

Anónimo disse...

Looking for information and found it at this great site... » » »

Cataclismo Cerebral disse...

Sei qual é o filme que estás a pensar, cujo final se assemelha a este. Mas acontece que The Others foi realizado primeiro que a outra referência, só que como era um filme independente teve mais problemas em ser concluído e distribuído. Atrasou-se e perdeu o "empurrão" e a marca de originalidade que beneficiaram a outra obra-prima.

Carlos M. Reis disse...

CC, não fazia a menor ideia. Já aprendi mais qualquer coisinha hoje ;) Um abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...