quinta-feira, março 15, 2018

The Cloverfield Paradox (2018)

Do nada, um filme. Sem aviso, mas com muito background, ou o título não lhe enfiasse directamente num universo excêntrico construído por J.J. Abrams e companhia. E é exactamente pela boca que morre o peixe: enquanto filme isolado de sci-fi, "The Cloverfield Paradox" teria sido aplaudido q.b. e quase todas as suas falhas perdoadas. Com sorte, o grande público ainda fazia um choradinho por uma sequela. Mas, colado aos seus predecessores espirituais - porque, na prática, pouco os liga -, a brincadeira de Julius Onah (quem?) resulta numa desilusão tremenda; porque não confere a coerência há muito aguardada aos eventos do capítulo de estreia e sempre que os enfia na narrativa, o faz de forma forçada. Ainda assim, várias ideias e dinâmicas entre personagens com tino e talento, num sci-fi muito mais competente do que parece.

3 comentários:

ajanelaencantada disse...

Isso teve distribuição onde? Cinemas? Internet? Passou-me ao lado.

Carlos M. Reis disse...

Lançamento global na Netflix logo após a Super Bowl, onde foi anunciado o trailer. Abraço José!

Pedro disse...

O Paradoxo é que todos os filmes agora podem ser Cloverfield.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...