quinta-feira, junho 10, 2010

Iron Man 2 (2010)

Um maior sentido de espectáculo, recheado de humor, fogo-de-artifício visual e um super-herói tão narcisista quanto frágil. É segundo estes moldes de puro entretenimento que o novo capítulo cinematográfico do herói da Marvel e de Stan Lee, criado no início dos anos sessenta, conquista uma vez mais as bilheteiras nacionais e internacionais. Em "Homem de Ferro 2", o mundo já sabe que Tony Stark (Downey Jr.) é o multimilionário mulherengo, megalómano, sarcástico, carismático e adepto de uma boa festa que se “esconde” dentro da armadura mágica que protege os Estados Unidos da América do terrorismo e garante, ao mesmo tempo, a paz mundial. Stark dixit. Mas perante tamanha demonstração de poder, será que o Governo e as forças militares dos EUA resistem a não arranjar maneira de colocar as mãos na tecnologia desenvolvida por Stark? Para ajudar à festa, nada melhor que meter ao barulho um calculista físico russo, que procura vingar a triste vida do seu pai, antigo parceiro de Howard Stark e co-inventor esquecido e abandonado da enigmática fonte de energia que dá vida à “arma” de ferro.

Com Jon Favreau a sentar-se novamente na cadeira do realizador – e a ganhar também alguns minutos mais de protagonismo no grande ecrã enquanto guarda-costas de Stark -, a grande novidade para esta sequela era mesmo a construção da narrativa estar entregue a Justin Theroux, o guionista responsável pelo pecaminosamente chistoso "Tempestade Tropical". Depois de um filme que surpreendeu meio mundo mas deixou muito a desejar no que tocava a Obadiah Stane, o vilão interpretado por Jeff Bridges, estava na altura de “Iron Stark” ter finalmente um rival ao mesmo nível. E teve não um, mas dois, conjugados numa união entre o pateta cínico Sam Rockwell, concorrente industrial de Stark e o intratável Mickey Rourke, que entre murmúrios em russo e cicatrizes várias conquista total credibilidade perante o público. E assim, mesmo sem ser tão surpreendente quanto "Homem de Ferro" – as expectativas eram demasiado altas para alcançar tal feito – esta sequela resulta num produto de entretenimento para massas mais eficaz, enérgico e divertido do que o capítulo inicial da saga.

Com uma banda sonora a acompanhar em bom estilo a adrenalina das suas cenas de acção, um elenco de luxo onde Don Cheadle brilha num papel em que Terrence Howard havia sido insonso, Scarlett Johansson cumpre enquanto “Viúva Negra” e Samuel L. Jackson precisa de apenas alguns minutos na tela para deixar água na boca em relação a um regresso triunfal em "The Avengers", um dos próximos projectos cinematográficos da Marvel, "Homem de Ferro 2" tinha potencial para ser um blockbuster de super-heróis sombrio, mas dificilmente resistiria às comparações com "O Cavaleiro das Trevas". Assim sendo, dedica-se a divertir o espectador, com alguma fidelidade à banda-desenhada, oferecendo várias referências ao restante universo Marvel e orquestrando pontes não só para o já referido "The Avengers", como, após os créditos finais, para "Thor". It’s good to be back.

7 comentários:

syrin disse...

Este filme é um verdadeiro PWP (Plot, what plot?!), uma vez que a história não faz grande sentido.

Mas sinceramente... who cares! É o Iron Man! É o Robert Downey Jr. a fazer de Tony Stark (o que, basicamente, significa que é o RDJ a fazer de RDJ!). É um filme pipoca daqueles bons, onde nem mesmo a Paltrow e a Johannson conseguiram estragar a boa onde do RDJ!

Venham daí mais, que nós continuamos a papar este tipo de filmes! (só espero é que, como os restantes filmes da Marvel, o 3º não saia uma xaropada de todo o tamanho, daquelas que são impossíveis de tragar)

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Gostei do PWP syrin hehe ;)

De resto, é como dizes, RDJ a fazer de RDJ é suficiente para cativar o público para mais... venham eles ;)

Nasp disse...

É melhor que o primeiro filme.

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Falta-lhe o factor surpresa do primeiro filme, mas sim, nem que seja em termos de vilões, está melhor do que o primeiro capítulo.

Abraço Nasp.

Jackie Brown disse...

Não concordo ;)

Não acho melhor do que o primeiro filme, sobretudo pelo elenco que ainda consegue ser pior. Todos os elementos, excepção feita ao grande Downey Jr., estão mal, ou pior do que deveriam estar.
O erro mais flagrante foi mesmo Don Cheadle

Embora seja um excelente entretenimento, disso não há dúvidas ;)

Abraço

Mr. Quim disse...

Quero ver se vejo este filme no próximo fim de semana.
Vi o primeiro e gostei muito, vamos a ver se este não desilude.

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Jackie, para mim o Don Cheadle foi a grande melhoria deste sequela. Tornou a personagem mil vezes mais atractiva e interessante que o Howard. Abraço.

Mr. Quim, depois dê novidades. Cumprimentos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...