sexta-feira, agosto 13, 2010

Tabaco, álcool e cinema: idade miníma obrigatória


Sobre a polémica internacional "blogosférica" que envolve Jackson Murphy, um "crítico" de onze anos que anda nas bocas do mundo depois de ter enxovalhado "Inception", fica a frase de Armond White, jornalista do "New York Press" e presidente da Associação de Críticos Nova-Iorquinos:

"There should be no film critics under the age of thirty, because before that you don’t know enough about art, you don’t know enough about life."

Tenho vinte e cinco anos, comecei a escrever sobre cinema aos vinte. Dito isto, estou completamente de acordo com White. Não sou crítico de cinema, e provavelmente nunca terei conhecimento suficiente sobre esta arte para o ser. Mas, por outro lado, quem é que considera minimamente relevante o que um miúdo de onze anos diz sobre o que quer que seja?

9 comentários:

Flávio Gonçalves disse...

A A.C. de NY tem duas coisas: inveja de um puto e um sentido apurado de elitismo que só me faz desconsiderá-la mais.

Já quanto à review dele, achei-a muito pobrezinha. Não acredito que com a idade a vá mudar. Apenas, provavelmente, a fundamentará melhor.

tadeu disse...

não acredito que um puto de onze anos escreva daquela forma...parece mais a imagem do miúdo e um graúdo a ditar as regras, mas...os 15 minutos de fama dele, está garantido.

Jackie Brown disse...

Vou ter de discordar.

Acho incorrecto, para não dizer ridículo, restringir a apreciação do Cinema a uma certa idade, ou seja, dar-lhe credibilidade a partir dos 30 anos.

Mas poderia haver mais subjectividade? E se eu tivesse 29 anos, a minha opinião sobre qualquer filme seria inválida?

E não existirão pessoas de 25 anos com mais experiência de vida -ou quais sejam os de White- do que alguém com 30 anos? Ou mais maturidade?

Enfim, de um modo geral discordo. Acho tão provável um míudo de 11 anos dizer um disparate como o que disse, como alguém da idade de Armon White (que, presumo ser superior a 30 anos), dizer um disparate como o que disse.

Isto é só a minha opinião, evidentemente ;)

Grande abraço!

DiogoF. disse...

Não acho que a crítica seja destrutiva, nem de longe. Não foi propriamente bajuladora, nem efusiva, como, citando um comentário feito ao meu blog, "o que se viu nos nicks do MSN na última semana". Só concluo que "não gostou muito", mas nem sabe dizer bem porquê. De certa forma, não lhe caiu bem, talvez por causa da idade. É normal que ainda não tenha maturidade e raciocínio para algumas coisas.

De qualquer forma, louvo o seu talento.

Bruno Duarte disse...

É deixá-los escrever ... as coisas têm a importância que nós lhe damos.

Concordo com o Jackie ... a idade é relativa.

Abraço.
http://vidadosmeusfilmes.blogspot.com/

Nuno disse...

É verdade que com a idade se vai escrevendo melhor, mas isso só se consegue com a prática. Escrevo sobre cinema desde os 20 e não escrevi nem um décimo dos filmes que queria. Se só começasse aos 30 então é que não teria hipóteses.

Pode ser que tenha de reescrever alguns textos, mas na maioria dos filmes não é preciso ser um expecialista para falar deles.


Agora 11 anos e um filme como "Inception" não é compatível.

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Tadeu, não me parece embuste, até porque o miúdo tem muito jeito para criticar os filmes na televisão, como se pode ver nos vídeos no seu site. Não é fácil ter aquele à vontade, ainda para mais com 11 anos.

Quanto ao resto, são opiniões e ainda bem que todos as temos ;) Eu não tenho dúvidas que o miúdo daqui a uns anos vai ser um dos mais respeitados (e conhecidos) críticos internacionais. Por enquanto, é como disseram, tudo o que escreve tem a importância que cada um a dá. Com 11 anos, não pode analisar um filme complexo como outro de 25 o faria. Como provavelmente o de 25 não o pode fazer como um de 40 faria. São as chamadas bagagens culturais e artísticas que moldam as nossas análises.

Cumprimentos a todos, obrigado pelo interessante debate.

Peter Gunn disse...

Concordo com muito do que aqui se escreve, principalmente na parte de que o miudo até tem jeito para a coisa e que não se deve cortar as pernas a quem quer exprimir as suas opiniões.
Obviamente que com 11 anos ele não está a analizar os filmes da mesma maneira que eu já com mais de 30 velas sopradas... pelo que acho que o site dele é o "ideal" para a pequenada dos 10 aos 15 anos saber e conhecer melhor os filmes que por ai andam "criticados" por alguem com o seu ponto de vista. Ou acham que um critico quarentão alguma vez na vida iria dar 5 estrelas a um filme da barbie? Filme esse que visto pelos olhos de uma criança podera ser uma autentica obra prima!

Um abraço

Nuno Pedro Fernandes disse...

Primeiro facto (já referido): o miúdo tem 11 anos e o Inception não é, nem por sombras, um filme para ser devidamente apreciado por um miúdo de 11 anos. No entanto, é a opinião dele. Há que respeitá-la.
Segundo facto: como sabemos, as opiniões são evolutivas. Quantas vezes já não nos aconteceu, como adultos, aprendermos a gostar de um filme que até aí detestávamos? A experiência de vida conta muito sim, mas principalmente como forma de nos permitir um novo olhar sobre as coisas. Somos seres em permanente aprendizagem e aquilo que não nos disse nada ontem pode vir a dizer muito amanhã.
Terceiro facto: a crítica de um miúdo de 11 anos é tão válida como a de um adulto de 30, simplesmente porque a apreciação de filmes é subjectiva e a idade é, inevitavelmente, um factor que sublinha essa subjectividade. Provavelmente, o blog do moço será mais para as crianças lerem, terá mais interesse para estas. É natural. Mas isso não faz dele pior ou melhor crítico que um Roger Ebert da vida. A sua capacidade de argumentação (tendo em conta a idade que tem, claro) é que sim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...