quinta-feira, março 17, 2011

Total Film também terá versão portuguesa

“Não é mais uma revista de cinema. É a revista de cinema.” É desta forma que Luís Mesquitela Lima dá conta do nascimento previsto para 1 de Abril da Total Film, licenciamento da Future trazido para o mercado português pela recém-criada editora Edimovie. Luís Mesquitela Lima, durante mais de três anos à frente da direcção comercial da revista Premiere (editada pela Multipublicações), é um dos três sócios da nova empresa (acumulando com a direcção comercial), do qual também faz parte Mário Oliveira (ex-Singer) e um terceiro, que preferiu não revelar. Cada sócio detém partes igualitárias no projecto. O acordo com a Future é de três anos.

À Multipublicações, a nova editora foi buscar o chefe de redacção da Premiere, Francisco Toscano da Silva, que assume a direcção da revista mensal. Nuno Antunes é o chefe de redacção que terá, explica o sócio da editora, ”cinco colaboradores externos, bem como um conjunto de “colunistas residentes”. O realizador António Pedro Vasconcelos e o actor Miguel Monteiro (que até recentemente foi director da Première) são os dois nomes avançados nesta fase por Luís Mesquitela Lima. A revista terá ainda mensalmente um colunista convidado “do mercado” (DVD e distribuição), assim como uma personalidade fora deste universo que irá dar conta d’os Filmes da Minha Vida. Na primeira edição, revela o responsável, é assinada por Pedro Passos Coelho. A direcção de arte é de João Artur Peral, profissional que assumiu recentemente o cargo de director criativo na Brandscape.

A chegada da nova revista de cinema surge no mesmo mês em que a Goody já anunciou ir lançar no mercado a Empire, tal como noticiou o M&P. Luís Mesquitela Lima não se mostra receoso, dizendo acreditar que em Portugal “há 20 a 25 mil pessoas que estão dispostas a pagar por uma boa revista de cinema”, referindo como mais-valia a aposta na comunicação do lançamento da revista. “Ao que sei nada está a ser preparado com esta dimensão” [nos concorrentes], assegura. Expresso, Visão, Sábado, Correio da Manhã, Record, Jornal de Notícias, Diário de Notícias e Diário Económico, bem como montras e salas de cinema são os meios em que a campanha de comunicação (criada internamente) estarão presentes. A agência de comunicação Ipsis também irá assegurar a comunicação do lançamento. O projecto, incluindo comunicação, envolveu um investimento total, a preços de tabela, de “praticamente” 350 mil euros.

A Total Film terá uma tiragem de 20 mil exemplares, 132 páginas e um preço de capa de 2,95 euros. A impressão é da Sogapal e a distribuição é da Vasp. Nos planos da editora não está o lançamento de novos títulos. “Esta é uma editora de um título só”, frisa.

Não há fome que não dê em fartura. Da fartura resulta a concorrência, que, por sua vez, costuma gerar competência e vontade de ser a melhor alternativa. Vamos lá ver no que isto vai dar e por quanto tempo vai durar. Premiere - que agora vai ter que inovar e finalmente perceber que andou demasiado tempo a navegar com as marés -, Magazine HD, Empire e Total Film nas bancas, depois de anos de miséria, é a concretização dos desejos consumistas de inúmeros cinéfilos portugueses como eu que, mesmo assim, continuarão a comprar as edições inglesas das históricas revistas de cinema que agora chegam ao nosso país. Um simples pedido: haja qualidade, criatividade e originalidade. De páginas para encher chouriços estamos nós fartos.

8 comentários:

O Projeccionista disse...

Concordo bastante com o que dizes neste último parágrafo. Não há fome que não dê fartura, agora vamos lá ver é no que dá tanta oferta. Quantidade nem sempre significa qualidade. Mas esperemos que sim. Já agora, sabes a data prevista de chegada às bancas da Empire portuguesa?

Cumprimentos.

Luís Azevedo disse...

Há pouco mais de um ano atrás, durante o interregno da Premiere não havia espaço para uma revista de cinema, agora há para quatro! Parece que o cinema passou de hobby de ninguém para hobby de todos da noite para o dia!

Andreia Mandim disse...

Não cheguei ainda a publicar a noticia no meu blog, vou o fazer depois de a comprar...mas acho que é uma boa nova para todos nós que amamos o cinema x)

já agora, belo blog, acho que ainda não tinha passado por aqui.

http://cinemaschallenge.blogspot.com/

Juliana Ferreira disse...

oi. Adorei o blog. é disto que precisamos em Portugal.
Se quiseres, passa pelo meu. Estou a oferecer dvd's todos os meses.

http://cinemofilia.blogspot.com/

Continuem o bom trabalho.

Neurónios Criativos disse...

eu ja comprei o nº 1 da Empire, o problema é que com tanta oferta no momento sublime de escolher ????? como se escolhe... compram-se todas e pode-se comprar as criticas que foi o que eu fiz neste mes (Abril).. o pior que nao vou tantas vezes assim casa de banho para ter tempo de ter umas 470 páginas..

Peter Gunn disse...

"o pior que nao vou tantas vezes assim casa de banho para ter tempo de ter umas 470 páginas"

Gostei dessa parte final ó Neurónios =)

Afinal mais parece que andas a ler o "Guerra e Paz" não? ;) hehehe

Então e agora a sério... onde é que pára o Knox??? =)

tamara rangel disse...

Muito legal o seu blog. Da uma olhada no meu e ve se interessa uma parceria:

http://telecinebrasil.blogspot.com/

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Ao contrário da Empire que já me convenceu, ainda estou a formar opinião em relação a esta Total Film. Parece-me misturar alguma irreverência com erros básicos da "antiga" Premiere. Cumprimentos a todos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...