quinta-feira, outubro 15, 2015

Knock Knock (2015)

Quarenta minutos de tensão sexual bem manipulada e ritmada - confesso, envergonhadamente, que desejei ser o Keanu Reeves uma vez na vida, desse para o que desse a minha existência após o pecado que se adivinhava - seguidos por quarenta minutos de perversidade manhosa em que o maníaco Eli Roth não sabe bem o que fazer com os testículos de Reeves: arrancá-los à dentada ou enchê-los de cócegas até fazer ferida. Muita paranóia, muitos eventos que não batem a bota com a perdigota, muita malandrice nos olhos das desconhecidas Lorenza Izzo e Ana de Armas. Uma espécie de "Funny Games" versão thriller eróticozinho para adolescentes e malta casada que serve, mais do que tudo, para abrir o apetite para "The Green Inferno".

2 comentários:

Ana S. disse...

Os homens desejam ser o Keanu Reeves e as mulheres desejam ter o Keanu Reeves. Tudo o que ele fizer, por mais mau que seja, eu vejo. Ainda por cima dizem que é boa pessoa!

Os Filmes de Frederico Daniel disse...

Eu achei apenas razoável este Knock Knock - Tentações Perigosas: 2*

"Knock Knock - Tentações Perigosas" é apenas um filme razoável e desiludiu-me um bocado, "Knock Knock" poderia ter sido muito melhor e isso teria sido bom.

Cumprimentos, Frederico Daniel.

PS quantas estrelas lhe deu Carlos?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...