terça-feira, janeiro 12, 2016

TCN 2015: Despedida e Resultados


Não vemos as coisas como são: vemos as coisas como somos. Para o bem, e para o mal. Muito, mesmo muito, podia ser dito sobre estas seis edições dos TCN que agora ficam no passado. Quase tudo guardo para futuras conversas de café com aqueles que durante estes seis anos, ou desde que descobriram este projecto utópico, nunca desistiram dele. Ganhasse quem ganhasse, perdesse quem perdesse, fosse nomeado quem fosse nomeado, tivesse a votos quem tivesse a votos, fossem estes últimos do público ou de uma academia. Porque foram estes que perceberam que o verdadeiro valor dos TCN, o grande objectivo desta celebração, era dar visibilidade aos blogues de cinema e televisão, levá-los aos principais players do mercado, dar-lhes credibilidade, apresentar o seu trabalho de nicho a outros mundos. Motivar. Reunir. Criar laços. Originar parcerias. Chegar mais longe. Ou, simplesmente, passar uma tarde divertida. Sem complexos, sem manias, sem problemas de jogar ao "1,2,3" no Centro Cultural Casapiano ou usar termos como "pintelheira", "merda" e "nalgas" perante desconhecidos e famosos. Porque essa tem que ser a imagem de marca da blogosfera: criativa, arriscada, original, sem medos, longe das zonas de conforto e dos lugares comuns da imprensa tradicional, repleta de restrições e politiquices. É imperativo sermos um espaço excepcional, com artigos e análises out of the box, iniciativas únicas e divertidas. Digo eu. Mas quem sou eu para achar que tenho uma palavra a dizer sobre esse conceito tão fantasioso quanto romântico que é a blogosfera? Sou o tipo que arriscou pisar um palco sem plateia em 2010 para celebrar essa utopia.

Ao Edgar Ascensão, ao Manuel Reis, ao Miguel Ferreira e ao André, ao Ricardo Rufino, ao José Soares, ao Pedro "Xunga", ao Paulo Fajardo e ao Daniel Louro, ao Pedro Andrade, ao Vítor Rodrigues, ao Luís Silveira e Castro, ao Gonçalo Fabião, ao Bruno Ferreira, ao Nuno Reis, ao Jorge Rodrigues, ao Samuel Andrade, à Anabela Moreira, à Catarina d'Oliveira, ao Rui Ribeiro, ao Fernando Ribeiro, ao Paulo Soares e a todos os que contribuíram para animar, divulgar e tornar reais seis cerimónias, bem como a todos os patrocinadores e todos os convidados que aceitaram subir ao palco desde 2010 e entregar um dia um TCN, o meu titânico OBRIGADO. Sem vocês todos, mas principalmente sem os seis que destaquei a negrito, os TCN nunca teriam passado do papel em anos diferentes. Esqueço-me certamente de muitos aqui no teclado, mas nunca no coração ou nas várias gavetas da mente que de quando em vez serão abertas.

O futuro, esse, não é comigo no leme. Para quem se seguir, amanhã ou daqui a vinte anos, um conselho: tudo o que nos irrita nos outros pode levar-nos a um entendimento de nós mesmos. E nós somos o que fazemos. Até sempre!


RESULTADOS TCN BLOG AWARDS 2015

Blogger do Ano | Blogue Colectivo | Blogue Individual | Novo Blogue | Artigo de Televisão | Artigo de Cinema | Crítica de Televisão | Crítica de Cinema | Entrevista | Reportagem | Iniciativa | Rubrica | Top/Ranking | Site/Portal/Facebook | Festival | Distribuidora | Canal de Cabo

2 comentários:

Sam disse...

Confessando-me (e não, nunca!, com júbilo ou orgulho) como um blogger de cinema que nem sempre foi "bom cliente" dos TCN, nunca poderei negar o mérito e o esforço, ao longo dos últimos seis anos, que reservaste a este empreendimento.

Por todo o empenho, só tenho de retribuir o agradecimento que me endereças no teu texto.

"Motivar. Reunir. Criar laços. Originar parcerias. Chegar mais longe.": eis uma boa proposta para um hipotético lema da própria blogosfera cinéfila.

Cumps cinéfilos.

Inês Retorta disse...

Oh, isso quer dizer que ja não me posso candidatar mais ? :(

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...