quarta-feira, setembro 08, 2010

The Expendables (2010)

Um grupo de mercenários impiedosos é contratado pelo CIA para assassinar o Chefe de Estado de Vilena, uma ilha da América do Sul, cuja ditadura e opressão ao povo são imagem de marca. Mas o que parece apenas uma missão como tantas outras, rapidamente se transforma numa odisseia de balas, navalhadas e explosões, sempre com muito estilo mas com nenhuma substância.

Tinha razão o escritor norte-americano Ambrose Bierce quando afirmava que a expectativa é um estado que, no cortejo das emoções humanas, é precedido pela esperança e seguido pelo... desespero. “Os Mercenários” é a prova cinematográfica disso mesmo. Com um elenco quimérico liderado por Sylvester Stallone, tanto na narrativa como na cadeira de realizador, somos catapultados para o cinema por nomes como Jet Li, Jason Statham, Dolph Lundgren, Arnold Schwarzenegger, Mickey Rourke, Bruce Willis e Eric Roberts, entre outros, todos eles estrelas de peso do cinema de acção durante as últimas duas ou três décadas. Mas, a um elenco utópico, faltou um realizador imparcial, capaz de isolar as personagens dos tiques de cada vedeta, e um guionista mais criativo e experiente do que o jovem Dave Callaham, que além do pusilânime “Doom”, nada mais fez na indústria para merecer tal honra.

Em suma, fogo-de-artifício a mais e habilidade narrativa a menos transformam “The Expendables” numa fita de acção oca e previsível, que apenas vale pelo desfile de heróis e anti-heróis que marcaram gerações e gerações de cinéfilos. A receita, no entanto, parece convencer os estúdios e o público, estando já nos planos de Stallone uma sequela com Bruce Willis no papel de super-vilão. Que ao menos Stallone traga desta vez consigo Van Damme, Steven Seagal e Chuck Norris para eu não ter desculpa, uma vez mais, para não ir ao cinema.

6 comentários:

Jackie Brown disse...

A mim desiludiu-me, de tal forma que só vi metade.Th
Esperava um guilty pleasure, um filme que me entretivesse e The Expendables simplmesmente... aborreceu-me...

Abraço ;)

Nasp disse...

Eu devo de dizer que gostei imenso do filme...

Os filmes destes heróis da década de oitenta sempre foram "ocos" em muitos aspectos e não era agora com este que iríamos ter um filme cheio de bons diálogos e boas interpretações de alguns destes desajeitados actores!

Na realidade fiquei surpreendido muito pela positiva com este filme, é o filme que mais gostei de ver este ano!

PP disse...

Por acaso gostei, não adorei pois é mais filme de acção a rodos e isso também chateia quando é demais perde-se a história, mas gostei principalmente das cenas de combate corpo a corpo.

Cumprimentos pessoal ^_^

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Nasp, não pedia nem esperava nada disso, mas no mínimo uma história bem pensada, inteligente, com um outro twist, já que a nível interpretativo sabia com o que contar. Foi tudo muito, muito previsível, na minha opinião. Um grande abraço.

PP e Jackie, abraços, obrigado pela visita!

Vasco disse...

Eu vou copiar uma review que está no imdb, que reflecte tudo aquilo que penso :

I laugh at many of the hate comments as what the hell did they expect? a romantic comedy? award winning performances? deep dialogues? Freudian complex character study?

common give me a break!!! from the beginning you should know this is all about guns,explosives and oneliners from start to finish and homage to silly 80's action flicks.

and this is simply exactly what you get.

while i will never understand what most woman think so great about sex and the city( fashion? shoes? what the hell?)

so this is for men/boys who will be thrilled to see their old heroes from back in the days once more on screen kicking everybody's ass! (oh and no i also like deep intellectual movies, its all about expectations)

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Tem sido a opinião de muita gente e respeito-a... mas esse mecanismo de defesa (queríamos era ver esta malta junta) é o primeiro sinal de que o filme não vale grande espingarda :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...